Quinta-feira, 19 de Março de 2009

Pai

Estamos distantes mas é essa mesma distância que nos une incondicionalmente. A tua voz é forte mas doce e eu gosto de a ouvir todas as noites, quando não estás perto de mim para me dares um beijo de boa noite. Gosto quando me convidas para me sentar no teu colo como quando era criança e gosto, também, quando me chamas nomes parvos mas fofinhos. Adoro as noites de Verão, passadas na varanda, tu com as tuas histórias e piadas e eu a contemplar as estrelas do céu e a ouvir o som do rio que passa perto de nossa casa.

Por tudo e muito mais, amo-te, pai.

 

Vera às 18:00

| Comentar | (5) |

+

Ver perfil

 
Emoção que abafa a lógica:
As palavras da menina-mulher que vive, que ama, que chora de tanto rir e que ri para não chorar.